OPINION ON HUNTING ~ Dr. Vasco Reis, veterinarian
(scroll down for Portuguese text)

vasco-reis

“Hunting” means to frighten, rouse, hurt and kill.
Nevertheless, some people call this activity a “sport”, creating a halo of passion and fame.

But if you really love nature and physical exercise, you should go without a gun as wearing a gun disturbs your concentration and ability to enjoy your impressions.
For most people, live animals are much more beautiful and interesting than maimed blood smeared corpses.

If you want to shoot use your camera to shoot your trophies in the form of peaceful and beautiful pictures or films.
If you like target shooting, join a marksmanship training, enjoying a bloodless competition in good company.

Nowadays, hunting in Portugal is justified to serve the needs of meat eating people. A wrong justification as – to get the same nutritional value – we kill many more animals that can be hunted than the number of domesticated animals that are bred for our consumption. So we could save many more animal.
Moreover, the consumption of meat is absolutely neither needed, nor the healthiest food. The experiences of vegetarians and vegans show that saving the lives of animals is good for the environment, serves the economy and is ethically laudable.

Hunting causes extreme stress to the animals. Even a fast death always has a terrible impact. If the animal gets lethally wounded, dying slowly, it suffers in agony.
Animals scheduled for hunting, after being bred in captivity under stress in closed containers and to be released for the barrels of hunters, face the same terrible suffering.
Visual and physical remains of shot and cartridges in nature form an environmental threat.

As Natural parks of Portugal allow hunting we should ask:
What kind of “natural park” does not protect its wildlife and quiet environment?
Hunting contributes to a dangerous decrease and even extinction of the species allowed to be hunted. People are hurt or killed by hunting accidents.
Many hunting dogs live in very poor conditions of care and shelter. There is not enough food, space, shelter against bad weather and health care to guarantee a reasonable quality of life for these animals.

In an act of profound cruelty, many hunting dogs are abandoned, because they do not satisfy the hunter. Others are slayed with greater or lesser suffering.
In Portugal thousands of hunters live amidst about 10 million Portuguese citizens. Among the latter, most have no sympathy for the activity, many feel uncomfortable to reprove the hunt and only few speak out against it.

Relatively recent legislation recognises the right to forbid the hunt on property.
Hunting is a nuisance by its noise, the disturbance of the environment, its dangers to people and also by the anguish and disgust to people who are confronted with of the extermination and suffering of sentient animals. Animals with nervous systems comparable to hunters and non-killing people.

~ Vasco Reis, veterinarian

* * *

OPINIÃO SOBRE A CAÇA 
~ A Dr. Vasco Reis, veterinario  
                                      
Caçar é assustar, ferir, provocar sofrimento e matar.

No entanto, há quem chame desporto a esta actividade, que pode provocar paixão e ser elogiada pelos adeptos. Envolve muitas verbas.Pois, se há gosto no contacto com a natureza e no exercício físico, isso deve acontecer sem a arma a tiracolo ou apontada, aumentando muito a concentração para a desfrutar.

Para muita gente, os animais vivos são bem mais belos e interessantes do que mortos e ensanguentados.Pode disparar-se também, mas com máquinas fotográficas ou de filmar e assim conseguirem-se, de modo pacífico, belos trofeus em imagens.O tiro ao alvo é uma boa alternativa para treino da pontaria, para fazer o gosto ao dedo, para proporcionar convívio.

Hoje em dia, a caça em Portugal mal se justifica até para servir as pessoas que se alimentam de carne pois, em geral, para se obter o mesmo valor nutritivo é preciso abaterem-se muito mais animais dentre as espécies cinegéticas do que animais das espécies domesticadas criadas e com o destino imposto pelo consumo para servirem de alimento. Poupar-se-iam, portanto, muito mais vidas no caso de opção por esta possibilidade.

Aliás, o consumo de carne é absolutamente dispensável e nem é dos alimentos mais saudáveis. A experiência dos vegetarianos e dos veganos demonstra isso mesmo, enquanto poupa o sacrifício de animais, protege o ambiente, serve a economia, é eticamente louvável.

A caça provoca enorme susto aos animais, sejam eles alvejados ou não. Mesmo se a morte for rápida, trata-se sempre de um impacto violentíssimo.
Se o animal ficar ferido, sem morte rápida, ficará em terrível sofrimento.

Espécies cinegéticas estão a ser criadas para serem lançadas perante os canos de caçadores, sofrendo estes animais os mesmos terríveis choques.
Sofrimento está presente durante a criação em recintos fechados e apertados.
Cartuchos e restos de projécteis espalhados pela natureza são prejudiciais, provocando poluição física e visual.

Em parques naturais de Portugal é permitida caça. Impõe-se, por isso, a pergunta:
Mas que parques naturais são estes, que não protegem a sua fauna e a tranquilidade ambiental?
A caça contribui para a diminuição ou quase extinção e até mesmo extinção dos animais das espécies designadas por cinegéticas.
Acontecem acidentes que vitimam pessoas.

Muitos cães de caça estão sujeitos a condições deficientes de tratamento e de manutenção. Alimentação, espaço, protecção contra intempéries, contenção, desparasitação, etc. muitas vezes não permitem uma razoável qualidade de vida para estes animais.
Num acto de profunda crueldade, muitos cães de caça são abandonados, porque não satisfazem o caçador. Outros são abatidos com maior ou menor sofrimento.

Em Portugal existem milhares de caçadores, no meio de cerca de 10 milhões de portugueses. Dentre estes últimos, a maior parte não tem simpatia pela actividade, muitos sentem-se por ela incomodadose reprovam-na, mas pouco se manifestam.
Legislação relativamente recente reconhece o direito à não caça em terrenos de quem o requerer.
A caça incomoda pelo ruído, pela perturbação do ambiente, pelo perigo e, também muito, pela angústia e revolta que provoca a quem está consciente do dizimar e do sofrimento que provoca em animais sencientes, dotados de sistema nervoso comparável ao dos caçadores e não caçadores.

~ Vasco Reis, veterinario

CULTURAL CANCER
STOP SUFFERING
STOP FUN KILLING